segunda-feira, 25 de maio de 2015

Aprenda a fazer uma resenha de livro

Por: Universia

Escrever uma resenha é uma ótima forma de comprovar que os alunos realmente leram e entenderam os pontos principais de um determinado livro e, por isso, estas são comumente pedidas pelos professores. Se você não tem certeza de como estruturar o texto de forma a deixar suas ideias claras, não se desespere!

O primeiro passo é ler o livro com muita atenção. Para resenhá-lo, você deverá conhecer os personagens e entender todo o contexto da época em que ele foi escrito e o que o autor pretendia ao publicá-lo. Por exemplo: é muito difícil escrever uma resenha de uma obra como Os Miseráveis, de Victor Hugo, sem entender os costumes da França do século XIX, entre a batalha de Waterloo e as barricadas de Paris.

Ao término da leitura, você deverá organizar os seus próprios pensamentos. A opinião do autor ficou clara para você? Além disso, é necessário refletir sobre como a obra reflete nos dias atuais, ou seja, como o que foi escrito em anos passados está presente na sociedade de hoje. Esse pode ser um dos seus pilares para escrever a resenha.

Agora é hora de começar a escrever a sua resenha. É importante ter em mente que uma resenha deve descrever o livro e apontar aspectos importantes sobre ele. Personagens marcantes e relevantes para a história devem ser citados, sendo que uma boa dica para apresentá-los é descrevendo suas impressões sobre a personalidade deles e por que a história seria completamente diferente na ausência dos mesmos.

A resenha também dá a chance de você expressar suas opiniões, como a fluência do texto, a presença ou não de humor ou até mesmo a velocidade na qual as coisas acontecem. Porém, lembre-se de que uma resenha didática deve priorizar o conteúdo da aula para a qual ela foi proposta. Se você está escrevendo para o professor de literatura, insira a obra no movimento literário na qual o livro foi escrito. Se for para o professor de história, prefira o contexto social da época.

sexta-feira, 22 de maio de 2015

3 regras para conseguir o emprego dos seus sonhos

Por: Universia

Muito se fala sobre conquistar o emprego dos sonhos, porém é preciso saber que esse conceito faz com que você eleve suas expectativas quanto a uma determinada vaga ou opção de carreira. Por esse motivo, é importante conhecer as 3 regras para conseguir o emprego dos sonhos e decidir se isso é mesmo o ideal para você. Confira:

Regra n° 1: não confie apenas na sua educação superior

Você pode ter um diploma de graduação, mas nem sempre o emprego ideal para você é aquele convencional. Por exemplo, você pode ter se formado em Jornalismo, mas ser um profissional melhor como social media do que repórter. Considere suas opções.


Regra n° 2: conheça os desafios do mercado de trabalho
O mercado de trabalho está cada vez mais competitivo e limitado quanto ao número de vagas abertas. Conhecer esses desafios é importante para que você tenha consciência de que nem sempre vai acabar no emprego dos seus sonhos.

Regra n° 3: desenvolva cada vez mais habilidades

Você não é o único candidato tentando conquistar o emprego dos sonhos, por isso é importante desenvolver cada vez mais habilidades para se destacar nos processos seletivos. Faça cursos online, cursos de extensão e tudo o que for possível para impulsionar o seu currículo.

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Veja quais são os prós e contras da graduação

Por: Universia 

Se você ainda está dividido entre cursar ou não uma universidade, saiba que você não é o único. Essa é uma decisão difícil e existem muitos estudantes que afirmam sentirem-se ansiosos quando o assunto é a graduação. Por isso, veja quais são os prós e contras da graduação e facilite a sua escolha:

Prós

• Foco: você estará focado na sua escolha de carreira, ou seja, o que você gosta. Isso significa que a faculdade por si só vai incentivar você a estudar e profissionalizar-se em algo que o atrai.

• Você terá um diferencial: um curso de graduação no currículo coloca você à frente de outros candidatos para a mesma vaga de emprego.

• Você vai expandir o seu network: você conhecerá muitas pessoas na faculdade, não apenas os seus colegas de classe, mas também os professores e outros funcionários que podem garantir oportunidades de emprego no futuro.

Contras

• Muitas faculdades são caras: isso significa que você provavelmente terá que trabalhar e estudar ao mesmo tempo, ou até mesmo gastar dinheiro que foi guardado por muito tempo.

• Você terá que fazer sacrifícios: a vida universitária é diferente da vida na escola. Você terá que trocar alguns fins de semana com seus amigos para se dedicar aos trabalhos e até mesmo passar algumas noites acordado.


segunda-feira, 18 de maio de 2015

Veja como o fracasso pode ajudá-lo a melhorar

Fonte: Universia

Desde crianças, somos levados a acreditar que o fracasso é negativo e que devemos evitá-lo. Claro que obter o sucesso é bom, mas fracassar também pode ensinar coisas positivas para as nossas vidas profissionais e pessoais.

Fracassos nos ensinam a sermos mais persistentes. Quase todos os grandes gênios e empresários, antes de atingirem o sucesso, fracassaram várias vezes. Eles tiveram que errar muito antes de encontrar o caminho certo e tomá-lo. Por isso, veja os erros como uma chance de tentar de novo.

Com os fracassos, nós também conseguimos aumentar a nossa empatia. Ao fracassar, conseguimos nos colocar na posição dos outros quando eles também estiverem em uma situação difícil. Além disso, obter resultados ruins nos ensina a sermos humildes: qualquer pessoa pode cometer erros e não alcançar sucesso, inclusive você. A empatia e a humildade, juntas, são duas características importantes para profissionais e também para a vida profissional.

O fracasso também é um grande catalisador para a criatividade. Para não cometer o mesmo erro de novo é necessário criar rotas alternativas e tentar novamente. Sem ser criativo, essa tarefa se torna ainda mais difícil. Por isso, fracassar pode desenvolver a sua criatividade e capacidade de inovar.

Por fim, obter resultados ruins nos deixa flexíveis. Ao errar, percebemos que não devemos sempre nos ater às mesmas regras e moldes. Muitas vezes, para um plano dar certo, é necessário somente se adaptar às circunstâncias. Tendo isso em mente, as chances de voltar a fracassar se tornam menores.

Viu quantas coisas boas podemos aprender com o fracasso? Portanto, da próxima vez que fracassar, não fique se sentindo triste. Aproveite o momento para aprender com ele e trazer benefícios para a sua vida pessoal e profissional.

sexta-feira, 15 de maio de 2015

5 Mitos Sobre A Inteligência

Por Gabriel Tonobohn



A inteligência já foi definida ao longo da história de muitas maneiras diferentes. É difícil chegar a um consenso sobre o que realmente é a inteligência. Seria sinônimo de esperteza? Ou a capacidade de uma pessoa de resolver problemas de lógica, abstração, comunicação, etc? Apesar de toda sua inteligência, os cientistas ainda não chegaram a uma definição que todos concordem plenamente.
Com tantas variáveis, como se medir a inteligência de uma pessoa? Hoje em dia, a inteligência é medida pelo QI (Quoeficiente de inteligência). O teste de QI é uma das ferramentas mais usadas para tentar prever sucesso acadêmico ou profissional de uma pessoa, mas é também bastante questionado como método.
Mesmo com todas as ressalvas quanto à mensuração da inteligência, por muitos anos o homem tentou encontrar maneiras de aumentar o seu poder mental. A verdade é que o cérebro, assim como o restante dos seus músculos, sempre se beneficiará do exercício. Exercitar sua mente é tão importante quanto exercitar seu corpo. 
Contudo, nessa ansiedade de melhorar nossas habilidades, muitos mitos apareceram ao longo do tempo prometendo fórmulas mágicas para conquistar esse feito. Por isso, separamos alguns desses mitos aqui para esclarecer o que é ou não é verdade. Confira!

1. Alguns alimentos podem melhorar sua inteligência
Durante anos acreditou-se que comer ou não comer alguns alimentos poderia melhorar nossa capacidade mental. Embora ter uma alimentação saudável ajude em basicamente qualquer aspecto da sua vida, tomar pílulas de vitaminas ou comer blueberries não vai ajudá-lo a encontrar as respostas daquela palavra-cruzada do jornal. Basicamente, o que acontece é que os alimentos que dizem que são bons para o cérebro são bons também para o coração, e quando o coração está saudável, ele fornece mais oxigênio para o cérebro, o que aumenta seu desempenho. Portanto, comer bem é a chave para tirar o máximo de desempenho do seu cérebro, mas isso não vai mudar o que você já sabe.

2. Palavras-cruzadas te deixam mais inteligente
Palavras-cruzadas, sudoku e outros jogos de palavras são legais e divertidos, mas não vão fazê-lo um gênio. A verdade é que esses jogos apenas treinam o seu cérebro, mas não necessariamente o tornam mais inteligente.
Em outras palavras, fazendo palavras-cruzadas você vai ficar muito bom em... palavras-cruzadas. Jogos podem ajudar a melhorar habilidades específicas, mas ao saber resolver um sudoku, você não vai aprender nada além de resolver sudokus.

3. Ouvir música clássica aumenta seu QI
Em 1993, pesquisadores descobriram que a habilidade cognitiva de estudantes aumentava ao ouvir a sonata 1781 de Mozart. Bastou isso para que se espalhasse o mito do chamado “Efeito Mozart”, que foi suficiente para convencer o governador da Georgia a prover um CD de música clássica para cada recém-nascido no estado. Também foi o suficiente para criar uma indústria bilionária para mães que compravam produtos como a linha “Baby Mozart”, na tentativa de tornar seus filhos mais inteligentes.
Na verdade, ouvir a música aumentava a capacidade dos estudantes, mas o efeito dura apenas 10 ou 15 minutos. Nenhum outro estudo conseguiu comprovar que a música clássica realmente aumentava o QI de qualquer pessoa permanentemente. Uma possível explicação é que a música é capaz de acalmar a pessoa, que consequentemente tem mais facilidade para se concentrar em uma determinada atividade.

4. A maioria das pessoas usa apenas 10% de sua capacidade mental
O mito parece mais um mantra entoado por muita gente, inclusive nos livros e filmes. A verdade é que nós usamos 100% de nossa capacidade, só não ao mesmo tempo.
O cérebro é responsável por inúmeras funções, não apenas pensar e criar. Ele coordenada as funções motoras, incluindo equilíbrio, movimento e respiração. Assim, quando você realiza determinada atividade, usa uma parte do cérebro. Quando realiza outra, usa outra parte. O cérebro é todo usado, apenas não de uma vez só.

5. Inteligência diminui com a idade
É verdade que, a medida que envelhecemos, nosso cérebro muda, como o restante do corpo. Também é verdade que, com a idade, nossas agilidade diminui, começamos a nos mover mais devagar e o corpo não responde mais tão rapidamente como antes. A partir dos 27 ou 28 anos, nossas habilidades já atingiram um pico e começam a entrar em declínio.
No entanto, apesar dos mais velhos perderem em habilidades cognitivas, eles tem algo que não pode ser medido ou padronizado por nenhum teste: sabedoria. A sabedoria e o conhecimento prático com base em anos de experiência são valores poderosos que muitas vezes são esquecidos. Os mais jovens podem ter mais agilidade e realizar tarefas mais rapidamente, mas os mais velhos conseguem compensar isso enxergando melhor o quadro geral com sua experiência.

É claro, assim como o corpo, a mente também deve se manter em atividade para diminuir a ação do tempo. Continuar aprendendo e praticando é uma ótima maneira de conservar suas capacidades (ou aumentá-las).

quarta-feira, 13 de maio de 2015

Descubra 8 empregos que existirão no futuro

Por: Universia

Ao longo das décadas, empregos que eram comuns foram desaparecendo por conta da existência de novas tecnologias e mudanças sociais. Assim como isso aconteceu no passado, esse fenômeno se repetirá também com as profissões atuais.


Veja 8 empregos que existirão no futuro:


1 – Especulador de moedas virtuais. 
As moedas virtuais se tornaram famosas após o "boom" do Bitcoin. Por isso, assim como qualquer transação financeira, elas também vão precisar de profissionais para lidar com as especulações. Para essa profissão, é essencial ter conhecimentos financeiros e de tecnologia. 


2 – Adaptador coorporativo 
Uma grande tendência para o futuro é que empresas comecem a se unir para aumentar o número de clientes e diminuir a concorrência. Como existem companhias com culturas e valores muito diferentes, é importante que exista um profissional preparado para adaptar as corporações para viverem em harmonia. Essas pessoas terão alto conhecimento administrativo e de psicologia. 

3 – Professor hacker
Daqui a alguns anos, o número de hackers aumentará e, por isso, será importante ensinarmos as crianças como se proteger desses ataques. Desde a escola, professores passarão estratégias hacker para os alunos. Para ser um professor hacker, esses profissionais têm que estudar pedagogia e serem técnicos em informática. 

4 – Arquiteto digital
No futuro, os sites serão tão complexos que designers não serão mais suficientes: existirão arquitetos digitais. Eles poderão elaborar estruturas online para sites e plataformas. Esse profissional terá um grande conhecimento em arquitetura, design e informática.  

5 – Engenheiro de imigração animal
Com as mudanças climáticas, muitos animais passarão a migrar para outros locais de planeta. Esses movimentos serão tão grandes e constantes que existirão especialistas analisando e controlando eles. Para isso, será necessário ter conhecimentos de biologia, logística e engenharia. 

6 – Terapeuta digital
Com a internet cada vez mais presente na vida das pessoas, os terapeutas digitais se tornarão cada dia mais dependentes da tecnologia. Caso essa necessidade extrapole o limite, será necessário ter consultas com um terapeuta digital. Esse profissional será especialista em tecnologia e na área de informática. 

7 – Consultor de privacidade
No futuro, redes sociais serão onipresentes e será possível compartilhar qualquer coisa por meio da internet. Se o internauta não souber quais são os limites para o tipo de perfil dele, será necessário conversar com um consultor de privacidade. Esse tipo de profissional terá contato direto com psicologia, direito e tecnologia. 

8 – Curador digital
Hoje em dia, a internet já possui milhões de dados disponíveis. No futuro, esse volume será ainda maior. Por isso, para filtrar quais informações são realmente importantes, existirá um curador digital. Ele será útil para empresas, jornais e outros meios de comunicação.